quinta-feira, 11 de abril de 2013

Morfossintaxe das palavras QUE e SE


Morfossintaxe da palavra QUE

1 - Substantivo – equivale a algumas coisa Ex.: Esse perfume tem um quê de enjoativo.

2 – Preposição – quando vem ligando dois verbos de uma locução verbal (equivalerá a de) Ex.: Tenho que sair mais cedo.

3 – Interjeição – quando exprime espanto, admiração, surpresa. Nesse caso será acentuado e seguido de ponto de exclamação. Equivale a o quê!. Ex.: Quê! Você ainda não resolveu os exercícios?

4 – Partícula expletiva ou de realce: quando pode ser retirado da frase sem prejuízo algum para o sentido. Não exerce função sintática. Aparece às vezes como é que. Ex.: Quase que não consigo terminar o trabalho. Eu é que consegui terminar o trabalho.

5 – Advérbio: quando equivale a quão, modificando adjetivo ou advérbio. Exerce função sintática de adjunto adverbial de intensidade. Ex.: Que lindas são aquelas enfermeiras!

6 – Pronome:

a) Relativo: retoma um termo da oração antecedente, projetando-o na oração seguinte. Equivale a o qual e flexões.
Ex.: Não encontramos as pessoas que saíram. OBS.: Nesse caso, o pronome que exerce inúmeras funções sintáticas, como vimos no módulo 6, páginas 1 e 2.

b) Indefinido:
 pronome substantivo: equivale a “que coisa”. Exerce as funções próprias do substantivo:
Ex.: Você precisa de quê? (funcionando como núcleo do objeto indireto).
 Pronome adjetivo: determina um substantivo. Nesse caso exerce função sintática de adjunto adnominal:
Ex.: Que livros você comprou! Que vida é essa? OBS.: No caso da segunda frase é chamado pronome interrogativo.

7 – Conjunção: relaciona entre si duas orações. Pode ser conjunção coordenativa ou conjunção subordinativa. Quando inicia oração subordinada substantiva, recebe o nome de conjunção integrante. Quando inicia outro tipo de oração, recebe o nome da oração que inicia. OBS.: Cuidado com as orações subordinadas adjetivas: elas são iniciadas por pronome relativo!


Morfossintaxe da palavra SE

1 – Conjunção: relaciona entre si duas orações. Nesse caso não exerce função sintática. Como conjunção ela pode ser:

a) Conjunção subordinativa integrante: inicia oração subordinada substantiva.
Ex.: Queria saber se estava tudo a contento.

b) Conjunção subordinativa condicional: inicia oração subordinada condicional. Equivale a caso.
Ex.: Continuarei a história se você ficar quieto.

c) Conjunção subordinativa causal: inicia oração subordinada adverbial causal. Equivale a como, já que.
Ex.: “Se você não me queria, não devia me procurar.”

2 – Partícula expletiva ou de realce: pode ser retirada da frase sem prejuízo algum para o sentido. Nesse caso, não exerce função sintática. Ex.: Ele se morria de ciúmes da esposa.

3 – Parte integrante do verbo: faz parte dos verbos pronominais. também chamado pronome fossilizado. Ex.: Ajoelhou-se no chão e rezou.

4 – Pronome apassivador: ligado a verbo que pede objeto direto a oração passiva. Nesse caso não exerce função sintática, é apenas apassivador. Ex.: Compram-se joias. Aluga-se uma casa na praia. OBS.: Lembre-se de que, quando o se é pronome apassivador, o sujeito estará presente na oração e o verbo estará na terceira pessoa do mesmo núcleo do sujeito. Para confirmar se está correto, transforme a oração para a voz passiva analítica: Ex.: Joias são compradas. Uma casa na praia é alugada.

5 – Índice de indeterminação do sujeito: o verbo estará sempre na terceira pessoa do singular e será sempre um verbo diferente do transitivo direto. Ex.: Trabalha-se de dia. Precisa-se de auxiliares de venda.

6 – Pronome reflexivo: quando equivaler a “a si mesmo”. Admite as seguintes funções sintáticas:
a) Objeto direto:
Ele cortou-se com a faca.
b) Objeto indireto:
Ele arroga-se direitos que não possui.
c) Sujeito de infinitivo:
Maria deixou-se estar à janela.

OBS.: A forma plural do pronome se pode indicar reciprocidade. Nesse caso é chamado pronome recíproco. Equivale a expressões como “uns aos outros”, “reciprocamente”, “mutuamente”... Ex.: Os inimigos cumprimentaram-se. Eduardo e Mônica amavam-se intensamente.

2 comentários: